terça-feira, 25 de julho de 2006

Publicado por Desnorteada às 10:35 da tarde 4 comentários

sábado, 22 de julho de 2006

TÃO PERTO E TÃO LONGE...

Publicado por Desnorteada às 9:10 da tarde 3 comentários
Percebo-nos longe. Distantes. Com medo, talvez. Mas, eu devo-te tanto. Devo-te cumplicidade. Devo-te horas de conversa. Devo-te a calma que me impões sempre que falamos. Devo-te os sorrisos que vou tendo. Entreguei-te o que sou por dentro, os meus medos e os meus desejos. Preciso tanto de ti! Preciso tanto das nossas histórias e confissões. Preciso tanto das tuas brincadeiras. Das trocas de sorrisos e picardias. Fazes parte de mim. E se é assim, longe, que podemos estar, vivamos assim, então... Deixa-me ficar. Deixa-te ficar. Deixa-nos persistir no tempo. Num tempo sem tempo. No nosso tempo. Deixa-me estudar-te. Aprender cada hábito teu. Conta-me tudo. Não te posso esquecer. Não quero. Por que haveria eu de querer esquecer alguém que me faz tão bem? Não posso. Quero é conhecer cada olhar, cada sorriso. Cada pedaço de ti... Abraça-me e tira-me daqui. Para onde quer que tu estejas. Eu vou aonde me quiseres levar. Pega-me na mão. Sente-me. Sou tua. É como eu sou, tua. E quero sentir-te meu. Cada vez mais. Segura-me em ti. Quero conhecer-te melhor. Cada milímetro teu. Quero-te meu. Quero sentir-me tua. Aconchega-me que eu encolho-me em ti. Segura nos teus braços. Já te disse, vou aonde me quiseres levar... Quero encontrar o meu lugar, mas se for perto do teu, tanto melhor...

quarta-feira, 19 de julho de 2006

UM DIA DE CADA VEZ...

Publicado por Desnorteada às 9:05 da tarde 3 comentários
"Como é que se esquece alguém que se ama? Como é que se esquece alguém que nos faz falta e que nos custa mais lembrar que viver? Quando alguém se vai embora de repente como é que se faz para ficar? Quando alguém morre, quando alguém se separa - como é que se faz quando a pessoa de quem se precisa já lá não está?As pessoas têm de morrer, os amores de acabar. As pessoas têm de partir, os sítios têm de ficar longe uns dos outros, os tempos têm de mudar. Sim, mas como se faz? Como se esquece?
Devagar. É preciso esquecer devagar. Se uma pessoa tenta esquecer-se de repente, a outra pode ficar-lhe para sempre. Podem pôr-se processos e acções de despejo a quem se tem no coração, fazer os maiores escarcéus, entrar nas maiores peixeiradas, mas não se podem despejar de repente. Elas não saem de lá. Estúpidas! (...) O esquecimento não tem arte. Os momentos de esquecimento conseguidos com grande custo, com comprimidos e amigos e livros e copos, pagam-se depois em condoídas lembranças a dobrar. Para esquecer é preciso deixar correr o coração, de lembrança em lembrança, na esperança de ele se cansar."
Miguel Esteves Cardoso

segunda-feira, 17 de julho de 2006

Publicado por Desnorteada às 5:04 da tarde 7 comentários
Doem-me as mãos de remar contra a maré. Não consigo mais. Agora, vou aonde ela me levar.

sexta-feira, 14 de julho de 2006

I MISS YOU

Publicado por Desnorteada às 9:13 da tarde 1 comentários
To see you when I wake up
Is a gift I didn't think could be real.
To know that you feel the same as I do
Is a three-fold, Utopian dream.

You do something to me that I can't explain.
So would I be out of line if I said "I miss you"?

I see your picture.
I smell your skin on
The empty pillow next to mine.
You have only been gone ten days,
But already I'm wasting away.
I know I'll see you again
Whether far or soon.
But I need you to know that I care,
And I miss you.
Incubus

quarta-feira, 12 de julho de 2006

Publicado por Desnorteada às 9:36 da tarde 3 comentários
Por que é que chorar faz tão bem e custa tanto?

segunda-feira, 10 de julho de 2006

DESABAFO

Publicado por Desnorteada às 5:25 da tarde 4 comentários
Os que cá vêm todos os dias sabem que estou desempregada. Já lá vão sete meses. Mas desenganem-se os que pensam que não faço nada. Para já, procurar emprego dá trabalho. E muito. Mas, para além disso, estou transformada numa autêntica fadinha do lar. Ora cozinho, ora arrumo a casa, ora trato da roupa, ora trato do cão... vocês nem imaginam os meus dias! Sempre fui muito dada às coisas da casa - e gosto -, mas, aqui entre nós que a minha mãe não me lê, agora é um exagero. Sou uma verdadeira dona de casa. Só me faltam o marido e os filhos. (Agora até me arrepiei!) Sinto-me a gata borralheira. Não há meio é da abóbora aparecer como coche para perder o raio do sapato de cristal e ver a minha vida transformar-se num conto de fadas!? Quando? Quando? Quaaaannndddoooooo???

Até podia continuar o desabafo, mas tenho à minha espera um cesto de roupa para engomar... GRRRRRRR!

sábado, 8 de julho de 2006

NEW LOOK!

Publicado por Desnorteada às 9:51 da tarde 6 comentários
Ainda na onda de um estado de espírito mais alegre quis mudar a aparência d' O Meu Lado B. Estamos no Verão e preciso de côr. Afinal, este cantinho é o meu refúgio... gosto que esteja à minha imagem. E, neste momento, quero aproveitar este optimismo que me invadiu. Às vezes, até tenho medo deste bem-estar. Posso andar a vaguear pelas ruas da vida, mas tenho o mundo à minha espera... e não vou desperdiçar tempo algum! Espero que gostem do novo look.

segunda-feira, 3 de julho de 2006

Publicado por Desnorteada às 10:05 da tarde 4 comentários


O jogo do rato e do gato cansa-me... :)
 

O Meu Lado B Copyright © 2012 Design by Antonia Sundrani Vinte e poucos