quinta-feira, 30 de novembro de 2006

"BAD DAY"

Publicado por Desnorteada às 6:37 da tarde 5 comentários
Não tenho andado muito por aqui. Tenho andado pouco inspirada... e o que tenho escrito é melhor guardar para mim! Só que hoje apetece-me deixar aqui, neste meu “confessionário”, um devaneio de última hora... um devaneio de “bad day”!
Esta é uma semana nostálgica. Para dizer a verdade, melancólica. As lembranças não param de chegar e voam sobre mim para não me deixar esquecer o que já fui e o que já tive. Há precisamente um ano, fiquei a saber que a minha vida ia sofrer uma grande mudança. Estava com um pé no desemprego, a fazer o último trabalho para o projecto que tinha abraçado uns bons meses atrás. Sentia o tempo a estreitar-se. Dia após dia. A única coisa boa eras mesmo tu. Tinha-te por perto. Confidente e conselheiro. Sempre com a palavra certa na ponta da língua. Sempre presente. Tão presente que nos deixámos levar pelo tonto do coração!
Um mês depois, a minha vida mudou mesmo. Regressei a casa. Sem trabalho. Revoltada. Para longe dos que eu gostava, de ti e até de mim. Isolei-me. Abracei o mundo, apenas, pela internet. Escondi-me atrás do computador, nada mais. E aqueles que me querem bem, lutaram para eu voltar a ser aquilo que era; os outros, – os que não me merecem! – pura e simplesmente, desistiram de mim. E tu mantiveste-te em mim, como sempre, ao longo destes meses. Apercebo-me disso sempre que te revejo, sempre que tropeço em ti... ainda que esporadicamente e sempre a correr! E ser (só!) tua amiga, às vezes, é mesmo uma seca! Por mais injusto que seja relembrar-me o que é sentir emoções e desejos que estou proibida de sentir, eu gosto de perceber que ainda posso ser especial. Já passou algum tempo, mas os sentimentos permanecem inalterados. Aliás, só mesmo os sentimentos... porque de resto mudou tudo!
Agora, a minha vida está prestes a mudar de novo. Mais uma etapa. (Sim, vou desvendar o que me fez e tem feito sorrir!). Em Dezembro, regresso ao mundo do trabalho. Vou para outra cidade. Outros hábitos. Outra rotina. Vou tirar o sinal de pause do sonho e pôr o play a funcionar a todo o vapor. Tenho de começar tudo de novo outra vez! Vou experimentar um meio diferente. Eu que já passei mais de metade da minha vida a estudar, tenho outra área de conhecimento para aprender. O que por si só já eleva as expectativas sobre o que aí vem. Estou ansiosa. Com medos e dúvidas. A única certeza é mesmo a de que desta vez vou agarrar esta oportunidade com todas as minhas forças. Tanto a nível profissional como a nível pessoal. E só não sei como vai ser contigo. O que nos espera?! (Se é que nos espera alguma coisa?!) Não quero perder nenhum minuto em que podia fazer e não fiz, queria abraçar e nem toquei, queria beijar e nem olhei... Sei que não está nas minhas mãos mudar o presente, muito menos, adivinhar o futuro, mas cabe-me a mim, ou a ti, ou a nós, esclarecer este coração palerma. Preciso de viver-nos ou arrumar-nos de vez, para poder seguir em frente sem medos, sem “ses” e sem culpas. Para viver sem estar agarrada ao passado... para poder viver intensamente esta nova oportunidade que a vida me está dar... Só com o coração leve conseguirei ser feliz! Tu entendes, não entendes?

sexta-feira, 24 de novembro de 2006

AULAS DE CONDUÇÃO

Publicado por Desnorteada às 9:58 da tarde 6 comentários


Amiguinhos, pela segunda vez sigo à regra as orientações de um instrutor... Tenho carta desde os meus 18 aninhos, mas conduzi muito pouco na altura. Foram precisos oito anos para eu voltar a pegar num carro. Por causa de um estúpido acidente, o medo tomou conta de mim. Agora, entendi que a condução é uma necessidade, pus o medo de lado e resolvi (re)aprender a enfrentar as estradas. Confesso que o meu medo passa mais pelos outros do que por mim. É cada um que nos aparece pela frente... “Palavra d’honra”! Tem sido uma aventura, mas as aulas até têm corrido bem... Vou com quatro aulas e já consegui conduzir numa via rápida a 100 km/h e só com uma mão – ordens do instrutor! Muito pouco para quem conduz há muito tempo, mas acreditem, para mim, foi uma vitória. O problema é mesmo o "pára, arranca" no meio do trânsito... o tempo vai ajudar, tenho a certeza! Agora, tenho mais seis lições... e não tarda estou prontinha para andar sozinha. Depois é só comprar o meu carrinho... ;)

quarta-feira, 22 de novembro de 2006

"Rotação"

Publicado por Desnorteada às 8:59 da tarde 2 comentários
É nos teus olhos que o mundo inteiro cabe, mesmo quando as suas voltas me levam para longe de ti; e se outras voltas me fazem ver nos teus os meus olhos, não é porque o mundo parou, mas porque esse breve olhar nos fez imaginar que só nós é que o fazemos andar.
Nuno Júdice in Pedro Lembrando Inês

quinta-feira, 16 de novembro de 2006

DA REFLEXÃO I...

Publicado por Desnorteada às 4:39 da tarde 5 comentários
Existem muitas coisas estúpidas na vida. Mas a mais estúpida, é não conseguir demonstrar o que se sente. Ter medo. Medo. Receio das consequências. Ter medo de dizer: eu gosto de ti. Ter medo de expressar o sentimento que mói e remói, o desejo que se intensifica no mesmo instante em que nasce. Ter medo e não experimentar. Ter medo e fugir. Mas como ultrapassá-lo? Como ultrapassar este medo que nos pode fazer tão feliz ou apagar-nos? Como ultrapassar o medo para decidir entre o que se pode perder e o que se pode ganhar? Como ultrapassar o medo que temos de ver discutidas questões em que estamos constantemente a remoer? Como ultrapassar o medo de dizer o que nos apoquenta o coração? Este medo que nos atrofia a alma... Este medo de sofrer, de magoar, de arriscar, de ser feliz, talvez. Que sensação incrível esta de andarmos às turras uns com os outros e com cada um de nós! Todos os dias. Numa luta constante. Que sensação incrível esta de termos medo de amar...

sexta-feira, 10 de novembro de 2006

ADORMECIDO

Publicado por Desnorteada às 6:36 da tarde 2 comentários
No cenário da tua vida
Aclamas noites alucinantes
De gentes estonteantes
Que são tanto como tu

No teatro do teu olhar
Há quem note que a coragem
Não passa de uma miragem
Com preguiça de gritar

No repetir do teu mostrar
Inventas-te uma história
Que em ti não há memória
Porque sabes que não é tua...

Houve alguém que te conheceu
Que te faz tremer ao passar
Porque nunca a deixaste de amar...

Continuas a ensaiar
A conveniência do sorriso
O planear do improviso
Que te faz sentir maior

No artifício dos teus gestos
Pensas abraçar o mundo
Quando nem por um segundo
Te abraças a ti mesmo

E assim vais vivendo
E assim vais andando aí
E assim vais perdendo em ti
Tudo aquilo que nunca foste...

Houve alguém que te conheceu
Que te faz tremer ao passar
Porque nunca a deixaste de amar

Quando um dia acordares
Numa noite sem mentira
E te vires onde não estás
Vais querer voltar para trás.

Toranja

sexta-feira, 3 de novembro de 2006

"FREE HUGS CAMPAIGN" - Inspiring Story!

Publicado por Desnorteada às 6:44 da tarde 3 comentários


Um XI bem apertado para todos... :)

quarta-feira, 1 de novembro de 2006

Publicado por Desnorteada às 8:53 da tarde 5 comentários
Não adianta queremos viver a vida, de um trago só, como se fosse uma bebida rápida. Não adianta deixarmo-nos embriagar em alguns momentos sem sentir o seu verdadeiro sabor. Mais vale ir escondendo os nossos desejos numa das gavetas que temos à nossa disposição, que é como quem diz esperar pelas lembranças que vão ficando. Assim, quando a vida nos oferece surpresas agradáveis, daquelas que chegam do passado para nos encher o coração, nós sabemos tirar proveito delas. A vida é para se viver(beber) como um bom vinho... aos pouquinhos! ;)
 

O Meu Lado B Copyright © 2012 Design by Antonia Sundrani Vinte e poucos