terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

Hakuna Matata!

Publicado por Desnorteada às 8:41 da tarde 1 comentários

É bom só de ouvir...

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

Balançar

Publicado por Desnorteada às 5:10 da tarde 0 comentários
Pedes-me um tempo,
para balanço de vida.
Mas eu sou de letras,
não me sei dividir.
Para mim um balanço
é mesmo balançar,
balançar até dar balanço
e sair...

Pedes-me um sonho,
para fazer de chão.
Mas eu desses não tenho,
só dos de voar.

Agarras a minha mão
com a tua mão
e prendes-me a dizer
que me estás a salvar.
De quê?
De viver o perigo.
De quê?
De rasgar o peito.
Com o quê?
De morrer,
mas de que paixão?
De quê?
Se o que mata mais é não ver
o que a noite esconde~
e não ter
nem sentir
o vento ardente
a soprar o coração...

Pedes o mundo
dentro das mãos fechadas
e o que cabe é pouco
mas é tudo o que tens.
Esqueces que às vezes,
quando falha o chão,
o salto é sem rede
e tens de abrir as mãos.

Pedes-me um sonho
para juntar os pedaços
mas nem tudo o que partes
e volta a colar.
E agarras a minha mão
com a tua mão e prendes-me
e dizes-me para te salvar.

De quê?
De viver o perigo.
De quê?
De rasgar o peito.
Com o quê?
De morrer,
mas de que paixão?
De quê?
Se o que mata mais é não ver
o que a noite esconde
e não ter
nem sentir
o vento ardente
a soprar o coração...
Mafalda Veiga

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

Publicado por Desnorteada às 10:55 da manhã 0 comentários
เสียใจ

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Há artigos que valem mesmo a pena ler e reler...

Publicado por Desnorteada às 10:58 da manhã 2 comentários
Está bem... Façamos de Conta

Façamos de conta que nada aconteceu no Freeport. Que não houve invulgaridades no processo de licenciamento e que despachos ministeriais a três dias do fim de um governo são coisa normal. Que não houve tios e primos a falar para sobrinhas e sobrinhos e a referir montantes de milhões (contos, libras, euros?). Façamos de conta que a Universidade que licenciou José Sócrates não está fechada no meio de um caso de polícia com arguidos e tudo.
Façamos de conta que José Sócrates sabe mesmo falar Inglês. Façamos de conta que é de aceitar a tese do professor Freitas do Amaral de que, pelo que sabe, no Freeport está tudo bem e é em termos quid juris irrepreensível. Façamos de conta que aceitamos o mestrado em Gestão com que na mesma entrevista Freitas do Amaral distinguiu o primeiro-ministro e façamos de conta que não é absurdo colocá-lo numa das "melhores posições no Mundo" para enfrentar a crise devido aos prodígios académicos que Freitas do Amaral lhe reconheceu. Façamos de conta que, como o afirma o professor Correia de Campos, tudo isto não passa de uma invenção dos média. Façamos de conta que o "Magalhães" é a sério e que nunca houve alunos/figurantes contratados para encenar acções de propaganda do Governo sobre a educação. Façamos de conta que a OCDE se pronunciou sobre a educação em Portugal considerando-a do melhor que há no Mundo. Façamos de conta que Jorge Coelho nunca disse que "quem se mete com o PS leva". Façamos de conta que Augusto Santos Silva nunca disse que do que gostava mesmo era de "malhar na Direita" (acho que Klaus Barbie disse o mesmo da Esquerda). Façamos de conta que o director do Sol não declarou que teve pressões e ameaças de represálias económicas se publicasse reportagens sobre o Freeport. Façamos de conta que o ministro da Presidência Pedro Silva Pereira não me telefonou a tentar saber por "onde é que eu ia começar" a entrevista que lhe fiz sobre o Freeport e não me voltou a telefonar pouco antes da entrevista a dizer que queria ser tratado por ministro e sem confianças de natureza pessoal. Façamos de conta que Edmundo Pedro não está preocupado com a "falta de liberdade". E Manuel Alegre também. Façamos de conta que não é infinitamente ridículo e perverso comparar o Caso Freeport ao Caso Dreyfus. Façamos de conta que não aconteceu nada com o professor Charrua e que não houve indagações da Polícia antes de manifestações legais de professores. Façamos de conta que é normal a sequência de entrevistas do Ministério Público e são normais e de boa prática democrática as declarações do procurador-geral da República. Façamos de conta que não há SIS. Façamos de conta que o presidente da República não chamou o PGR sobre o Freeport e quando disse que isto era assunto de Estado não queria dizer nada disso. Façamos de conta que esta democracia está a funcionar e votemos. Votemos, já que temos a valsa começada, e o nada há-de acabar-se como todas as coisas. Votemos Chaves, Mugabe, Castro, Eduardo dos Santos, Kabila ou o que quer que seja. Votemos por unanimidade porque de facto não interessa. A continuar assim, é só a fazer de conta que votamos.
Mário Crespo in JN de 09.02.09

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

Banda Sonora Perfeita...

Publicado por Desnorteada às 11:41 da manhã 0 comentários

«Everywhere I'm turning
Nothing seems complete
I stand up and I'm searching
For the better part of me
I hang my head from sorrow
State of humanity
I wear it on my shoulders
Gotta find the strength in me

Cause I am a Superwoman
Yes I am
Yes she is
Still when I'm a mess
I still put on a vest
With an S on my chest
Oh yes
I'm a Superwoman

For all the mothers fighting
For better days to come
And all my women, all my women sitting here trying
To come home before the sun
And all my sisters
Coming together
Say yes I will
Yes I can

Cause I am a Superwoman
Yes I am
Yes she is
Even when I'm a mess
I still put on a vest
With an S on my chest
Oh yes
I'm a Superwoman

When I'm breaking down
And I can't be found
And I start to get weak
Cause no one knows
Me underneath these clothes
But I can fly
We can fly, Oooohh

Cause I am a Superwoman
Yes I am
Yes she is
Even when I'm a mess
I still put on a vest
With an S on my chest
Oh yes
I'm a Superwoman»
Alicia Keys

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Publicado por Desnorteada às 10:09 da manhã 0 comentários
Irritam-me os que se acham superiores a tudo e a todos...
Irritam-me os cobardes que só falam pelas costas...
Irritam-me os que não têm coragem de assumir as coisas...
Irritam-me os insensíveis...
Irritam-me os pobres de espírito...
Irritam-me os que decidem por mim...
Irritam-me os que não me aceitam como sou...
Irritam-me os infantis...
Irritam-me os que se esquecem de mim...
Irritam-me os que me tratam como se eu não soubesse o que quero...
Irritam-me os que me tratam como se eu não soubesse o que estou a fazer...
Irritam-me os podem tudo e mais alguma coisa...
Irritam-me as injustiças...
Irritam-me as crises existenciais...
Irritam-me as férias dos outros...
Irritam-me os dias a passar sem eu os aproveitar...
Irritam-me os segundos desperdiçados...
Irritam-me as palavras mal gastas... e os gestos... e as tentativas em vão...
Irritam-me estes e aqueles e os outros...
Irritam-me ...
IRRITAM-ME! IRRITAM-ME! IRRITAM-ME! IRRITAM-ME! IRRITAM-ME!

P.S.: Sim, estou muuuuiiiitttoooo sensível!

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

O Mar Fala de Ti

Publicado por Desnorteada às 12:05 da tarde 0 comentários

Eu nasci nalgum lugar
Donde se avista o mar
Tecendo o horizonte
E ouvindo o mar gemer
Nasci como a água a correr
Da fonte

E eu vivi noutro lugar
Onde se escuta o mar
Batendo contra o cais
Mas vivi, não sei porquê
Como um barco à mercê
Dos temporais.

Eu sei que o mar mão me escolheu
Eu sei que o mar fala de ti
Mas ele sabe que fui eu
Que te levei ao mar quando te vi
Eu sei que o mar mão me escolheu
Eu sei que o mar fala de ti
Mas ele sabe que fui eu
Quem dele se perdeu
Assim que te perdi.

Vou morrer nalgum lugar
De onde possa avistar
A onda que me tente
A morrer livre e sem pressa
Como um rio que regressa
Á nascente.

Talvez ali seja o lugar
Onde eu possa afirmar
Que me fiz mais humano
Quando, por perder o pé,
Senti que a alma é
Um oceano.
Mafalda Arnauth / Tiago Torres da Silva

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Portas Fechadas...

Publicado por Desnorteada às 9:52 da manhã 1 comentários
Antes de mais, quero agradecer a todos os que por aqui vão passando, apesar deste blog estar "moribundo". Fica o meu sincero agradecimento!
Este é só um desabafo... mais um... daqueles à antiga! Ando há tanto tempo a gastar palavras noutro sítio, que me tenho esquecido de as utilizar em meu nome e de uma forma que me dá prazer. Eu adoro escrever e nem tenho explicação para o facto de não o fazer mais vezes, ou melhor, de não o publicar. O único motivo plausível foi a "invasão de privacidade" de que me senti alvo, quando muitas vezes me apercebia de que estavam a forçar a entrada num lugar que é só meu. Sentia-me mal... sentia-me nua e mal interpretada, porque raras são as vezes em que de facto as pessoas compreendem bem as nossas palavras e o sentido que lhes queremos dar... Ando cansada... esgotada... e zangada comigo, sobretudo comigo... E não fazem ideia o quanto eu odeio e me custa estar assim!

Nestes últimos dias, tenho andado a pensar e isso não é bom... Para quem me conhece bem sabe disso: pensar muito faz com que tenha noção dos meus erros, das minhas burrices e de todas as mentiras em que tenho vivido. A verdade é que quando passo por uma fase como esta, de reflexão, a única conclusão real a que chego é a de que com a verdade, pura e dura, apre(e)ndo sempre grandes lições e devo tirar partido disso. A mais recente [e partilho-a convosco não por gostar dela, mas por querer gritá-la com raiva] é a de que ando à procura de mim há demasiado tempo e tempos houve em que eu achei que me tinha encontrado, mas estava tão enganada... A razão dessa descoberta era pura ilusão... só eu a vi e só eu a vivi. E não percebo... não fui suficientemente importante para a conseguir, nem suficientemente inteligente para a detectar a tempo. O melhor é mesmo seguir caminho para um espaço só meu, onde não há o perigo de me ferir nem a sensação de perda que me consome o tempo inteiro. Podem achar que sou cobarde e que me estou a refugiar num medo estúpido, mas por enquanto as portas estão bem melhor fechadas...
P.S.: Por favor, aos que me conhecem, não interpretem mal as minhas palavras...
 

O Meu Lado B Copyright © 2012 Design by Antonia Sundrani Vinte e poucos