sábado, 9 de abril de 2011

Da Primavera II...

Publicado por Desnorteada às 11:03 da tarde

Nós últimos dias temos vivido em pleno Verão. Ando tudo do avesso! Não me lembro de andar de t-shirts ou casaquinhos de malha nas noites de Abril. É verdade, que não sou muito esquisita no que diz respeito às Estações do Ano. Acredito que todas elas, cada uma com o seu jeito, têm um encanto muito especial: gosto da Primavera e das flores e do colorido das ruas e da luz que nos aquece a alma e dos sorrisos que o sol nos oferece; gosto do Verão e do mar e da praia e das noites quentes e das cervejas geladas e dos gelados; gosto do Outono e de calcar as folhas secas e de olhar para as árvores com várias tonalidades e do início do frio; gosto do Inverno e dos cachecóis e das noites em casa à lareira e da chuva a bater na janela quando tento dormir e do vento a uivar zangado lá fora e da neve e das luvas... Talvez eu tenha em mim um pouco de cada uma delas e, por isso, me sinta tão bem em qualquer época do ano. O meu estado de espírito não muda com o sol ou com a chuva, com os dias grandes ou menores, com o calor ou o frio. Não, nada disso... o meu estado de espírito muda com a ausência ou a presença dos que amo, com a distância ou a proximidade dos que me fazem sentir importante, com a alegria ou a tristeza da minha família, dos meus amigos, do meu coração...
Na próxima segunda-feira faço 31 aninhos... vou entrar noutra «estação»... e à medida que vou crescendo, que vou amadurecendo, percebo que mesmo ora florida, ora quente, ora despida ora fria, construí uma muralha à minha volta. Todas as mudanças que os anos me vão presenteando, trouxeram-me para um casulo onde criei o meu próprio mundo. Agora, guardo em mim todos os meus desejos, vontades e sonhos. Desisti de querer aquilo que não está ao meu alcance...  A propósito do meu aniversário, tenho os meus amigos a «exigirem» uma lista de prendas, mas este ano não houve nem haverá lista para ninguém. Hoje, a dois dias de completar 31 anos, percebo que por mim avançava este dia, que será igual a tantos outros, e nem me lembrava da data. Mesmo assim, se pudesse escolher, se tivesse direito a viver um sonho, pediria palavras, muitas palavras... de perto, de longe... de amizade, de coragem, com muitos mimos à mistura... sinceras e genuínas palavras. Apenas!

4 comentários:

Arnoldo Pimentel on 12:11 da manhã disse...

Muito bom seu texto, somos assim um pouco de momento, beijos.

KarenB on 2:44 da manhã disse...

De facto, é sempre muito bom ler o que escreves. E como me identifico com a maior parte do que escreves...
Também me sinto assim quanto aos aniversários, mas por muito que o evite, no dia em que faço anos acabo sempre por acordar com uma certa expectativa, na verdade, nem eu sei bem de quê. E isto, para acabar sempre o dia com um certo sabor amargo na boca. Para mim, fazer anos, só foi mesmo bom até aos 19 anos. Secalhar são razões parecidas as que nos levam a encarar os nossos aniversários desta forma, e não apenas o simples facto de acharmos que estamos a ficar mais velhas. Pelo menos no meu caso não é isso. É muito para além disso.
Um beijinho e até segunda!!

Pedro disse...

Tu no mínimo avançavas segunda e terça... é que ainda por cima dás-te ao luxo de teres dois dias para comemorares!!! :D Gostei! Beijinhos

Desnorteada on 11:12 da tarde disse...

Arnoldo, muito obrigada... :*

KarenB, eu gosto do dia do meu aniversário, gosto mesmo! Só não me apetece grandes festas... :) Beijinhos e obrigada

Pedro, já sabes que comigo é assim... ou tudo ou nada... LOL

 

O Meu Lado B Copyright © 2012 Design by Antonia Sundrani Vinte e poucos