domingo, 2 de dezembro de 2012

De ti...

Publicado por Desnorteada às 5:06 da tarde

Bastava que me dissesses que tinhas saudades minhas. Bastava que quisesses perguntar-me, todos os dias, se estava bem, se era feliz ou se me podias ajudar em alguma coisa. Era o suficiente. Se é possível? Não. Os anos passaram, a vida mudou e tornámo-nos estranhos. Seres alheios a tudo o que diz respeito aos dois. Indiferentes. Despreocupados. A olho nu: é disto que se trata. Nada mais. E é tão mais fácil não sentir nada em relação a nada...

11 comentários:

marisa v on 5:17 da tarde disse...

Há pessoas a quem não devia ser permitido saírem das nossas vidas. Que podiam ficar só para dizer um "olá" por dia, mas que ficassem

PM on 5:23 da tarde disse...

Será que te ia fazer bem? será que não ias querer mais do que um 'olá'? Estou a falar de cor mas às vezes é preciso cortar algumas amarras.

Desnorteada on 5:55 da tarde disse...

Neste caso Marisa v, foi bom termos saído da vida um do outro... ;)

PM, aqui não se trata bem de cortar... é como digo no final: é tão mais fácil não sentir nada em relação a nada... ;)

PM on 6:08 da tarde disse...

E eu concordo. Eu só falei em cortar no sentido de que se calhar é melhor mesmo estarem fora da vida um do outro.

Desnorteada on 6:11 da tarde disse...

Pior não é... ;)

Cerejinha Mei@ Amarga on 8:58 da tarde disse...

Nem sei o que diga...ás vezes mais vale sairem de uma vez porque quando ficam só magoam.

Desnorteada on 9:18 da tarde disse...

concordo contigo, cerejinha meia amarga! é mais fácil e ninguém se magoa. :*

Kate on 9:59 da tarde disse...

Às vezes o melhor mesmo é a indiferença, é fechar o passado e tentar não mais pensar nisso...

Desnorteada on 10:01 da tarde disse...

Mesmo, Kate! :*

teresa disse...

Parece-me que isto se trata de um presente passado e não de um passado presente... ;)

Desnorteada on 12:03 da manhã disse...

é mesmo isso! :P

 

O Meu Lado B Copyright © 2012 Design by Antonia Sundrani Vinte e poucos