terça-feira, 2 de abril de 2013

Muda-se o tempo, mudam-se as vontades...

Publicado por Desnorteada às 11:58 da tarde
Eu já fui uma pessoa alegre, já tive confiança em mim, já cativei uma série de pessoas ao mesmo tempo. Hoje não sou nada disso. Estou cada vez mais longe desse eu. E tenho pena. Porque sei que vai ser difícil voltar a ser aquilo que eu era. Não é que eu não tente, pelo contrário, tento até demasiadas vezes. Mas o medo da mágoa, da mentira, das encenações, faz-me recuar e quase me derruba. Todos os dias um bocadinho mais. Já nem importa o vazio. Faz parte disto tudo. Desta construção. E, na verdade, eu já não me sinto mal assim. Estou bem comigo. Estou (cons)ciente das coisas. A minha grande preocupação é deixar fugir algo de bom por não reparar, por não permitir que aconteça, por fazer de conta que não estou a sentir. Tenho tanta merda guardada na bagagem que se um dia for para seguir viagem vai ser preciso um esforço enorme para despachar a mala. E quem é que estará disposto a carregá-la? Por quanto tempo? Valerá assim tanto a pena? Eu já ando a arrumar as coisas e a pô-las de lado [não interessam mesmo para nada], mas parece-me que o processo é longo e ainda pode demorar. Raios! Logo agora que o tempo corre como se nunca houvesse realmente tempo para nada. E esta inquietação, veio de onde? Este burburinho mudo, sem força e em silêncio, será que veio para ficar? Ou não tarda e já se vai embora? Estou tão diferente que seja o que for que vem por aí não vai ser igual a nada do que já foi. Disso tenho a certeza!

7 comentários:

joão disse...

estás de volta?! :)

Desnorteada on 11:14 da manhã disse...

mais ou menos... :P

Teresa disse...

tu vais reparar! ;) beijinhos

Kate on 10:25 da tarde disse...

Espero que essa pessoa que eras volte e que te sintas melhor!

Desnorteada on 11:19 da manhã disse...

Teresa, espero que sim... ;)

Kate, aos poucos.. talvez consiga ser um bocadinho daquilo que já fui... kiss kiss

PM on 9:45 da tarde disse...

Como eu te entendo e, no meu caso, é tudo agravado por não saber onde vou estar no futuro, por não saber que futuro existe, se é que existe...

Desnorteada on 1:00 da tarde disse...

Resta-nos saber lidar connosco, PM, da melhor maneira que soubermos... ;)

 

O Meu Lado B Copyright © 2012 Design by Antonia Sundrani Vinte e poucos