quinta-feira, 30 de maio de 2013

Dos jogos...

Publicado por Desnorteada às 5:15 da tarde 2 comentários
Eu, sabendo que te amo, e como as coisas do amor são difíceis, preparo em silêncio a mesa do jogo, estendo as peças sobre o tabuleiro, disponho os lugares necessários para que tudo comece: as cadeiras uma em frente da outra, embora saiba que as mãos não se podem tocar, e que para além das dificuldades, hesitações, recuos ou avanços possíveis, só os olhos transportam, talvez, uma hipótese de entendimento. É então que chegas, e como se um vento do norte entrasse por uma janela aberta, o jogo inteiro voa pelos ares, o frio enche-te os olhos de lágrimas, e empurras-me para dentro, onde o fogo consome o que resta do nosso quebra-cabeças.

Nuno Júdice

segunda-feira, 27 de maio de 2013

Que coisa boa.

Publicado por Desnorteada às 2:04 da tarde 2 comentários

sexta-feira, 24 de maio de 2013

Para ti... com amor.

Publicado por Desnorteada às 4:07 da tarde 2 comentários

You know what I mean...

quarta-feira, 22 de maio de 2013

Publicado por Desnorteada às 4:50 da tarde 2 comentários


Adoro descobrir música nova e gostar muito. A-do-ro!

terça-feira, 21 de maio de 2013

Do olhar e do ver...

Publicado por Desnorteada às 11:03 da tarde 2 comentários
Muita gente toma o olhar e o ver como sinónimos. A verdade é que nem toda a gente vê, apesar de muito olhar. O olhar faz-se com os olhos, o ver faz-se com os olhos, as pontas dos dedos, as mãos, a boca, os lábios, as palavras, os sentimentos, os gestos, os actos. Ver é muito mais do que olhar. Ver está para além do observar. Ver é sentir e fazer sentir. [In]felizmente o ver está ao alcance de muito poucos, enquanto o olhar é fácil de cumprir na rotina do dia-a-dia. Eu sempre fui olhada, mas vista, verdadeiramente vista, nunca fui. E sinto-me triste, porque sou muito mais do que aquilo que aparento ser. Eu existo para além do meu corpo. Eu não sou só um esqueleto revestido de músculo e pele. Eu sou uma combinação de muitos outros ingredientes. Sei que, a maior parte das vezes, a invisibilidade é a minha característica principal e isso dói e magoa e fere. Muita gente toma o olhar e o ver como sinónimos. A verdade é que nem toda a gente vê, apesar de muito olhar.

segunda-feira, 20 de maio de 2013

Eu e as Covers #13

Publicado por Desnorteada às 7:05 da tarde 2 comentários

domingo, 19 de maio de 2013

Campeões 2012 / 2013

Publicado por Desnorteada às 9:57 da tarde 4 comentários

Este ano, o FC Porto é TRI Campeão Nacional.
Gosto tanto disto!

quinta-feira, 16 de maio de 2013

Me, myself and I.

Publicado por Desnorteada às 9:47 da tarde 2 comentários


Não me dêem fórmulas certas, porque eu não espero acertar sempre.
Não me mostrem o que esperam de mim, porque vou seguir meu coração.
Não me façam ser quem não sou. 
Não me convidem a ser igual, porque sinceramente sou diferente.
Não sei amar pela metade. Não sei viver de mentira. Não sei voar de pés no chão. 
Sou sempre eu mesma, mas com certeza não serei a mesma p'ra sempre.
Clarice Lispector

terça-feira, 14 de maio de 2013

Das borboletas...

Publicado por Desnorteada às 11:22 da tarde 2 comentários

Onde andam vocês? Perderam-se?

segunda-feira, 13 de maio de 2013

Bom dia...

Publicado por Desnorteada às 10:54 da manhã 4 comentários


Gosto das coisas simples da vida.

domingo, 12 de maio de 2013

Bom dia, alegria...

Publicado por Desnorteada às 11:34 da manhã 7 comentários


Isto foi tão, tão, tão bom que eu ainda nem "acardito".
Inesquecível!

sábado, 11 de maio de 2013

Eu e as Covers #12

Publicado por Desnorteada às 12:57 da tarde 2 comentários



Tu estás livre e eu estou livre
E há uma noite para passar
Porque não vamos unidos
Porque não vamos ficar
Na aventura dos sentidos
Tu estás só e eu mais só estou
Que tu tens o meu olhar
Tens a minha mão aberta
À espera de se fechar
Nessa tua mão deserta
Vem que o amor
Não é o tempo
Nem é o tempo
Que o faz
Vem que o amor
É o momento
Em que eu me dou
Em que te dás


Tu que buscas companhia
E eu que busco quem quiser
Ser o fim desta energia
Ser um corpo de prazer
Ser o fim de mais um dia
Tu continuas à espera
Do melhor que já não vem
E a esperança foi encontrada
Antes de ti por alguém
E eu sou melhor que nada


[Que letra fantástica a do António Variações e que versão deliciosa esta do Tiago Bettencourt!]

quinta-feira, 9 de maio de 2013

Pois que...

Publicado por Desnorteada às 5:54 da tarde 5 comentários

Na fronteira da pele não há cães polícias. Era isso mesmo. Na fronteira da pele. Onde eu acabo e tu começas. Onde eu passo de pecado em pecado. Deixo tudo e atravesso. Passo a linha e perco a calma. Na fronteira da pele não há polícia, não há controle.

Salman Rushdie

Eu e as Covers #11

Publicado por Desnorteada às 1:41 da tarde 2 comentários

segunda-feira, 6 de maio de 2013

É a vida!

Publicado por Desnorteada às 3:35 da tarde 4 comentários

É verdade. Pela primeira vez, em muitos meses, estou feliz sem ti. É como se te tivesse arrumado para bem longe, no meu coração [já uma espécie de mala com a alça toda fodida por carregar muito peso das palavras não ditas, das palavras que disseram sem sentido, das palavras que nunca se hão-de dizer]. Peguei nos silêncios consentidos, nas histórias partilhadas, nos livros que demos a conhecer um ao outro, nas músicas que fizeram a nossa história, nos sorrisos e gargalhadas e arrumei-os todos num lugar só meu. Já não tens chave – apenas entras se eu deixar. Se tenho pena?! Não, não tenho. Já era tempo de acordar para a mim, de me pôr na agenda [como me disseram ontem] e de seguir caminho. O maior segredo está guardado connosco, no nosso corpo, na nossa alma, bem dentro de nós, num lugar onde um(a) qualquer nunca há-de chegar. Sim, chutei-te para canto, para bem longe, de mim e de nós, para que também eu pudesse ficar longe. Não foi fácil ver-te afastar, como um pacote no mar a boiar e a ir com a maré. Sentei-me, como espectadora, a ver-te ir, a deixar-te ir, a não querer-te a rondar nem por perto. E sabes, nem olhei para trás... e soube bem. Estou acordada, estou viva, estou quase, quase de volta.

quinta-feira, 2 de maio de 2013

Superman

Publicado por Desnorteada às 11:07 da tarde 9 comentários


No dia em que um homem me disser que quer ser o meu super-homem, é para a vida toda!

Em modo repeat...

Publicado por Desnorteada às 11:18 da manhã 7 comentários

quarta-feira, 1 de maio de 2013

Do passado...

Publicado por Desnorteada às 12:24 da tarde 3 comentários
(...) Arrumei os amores, é a primeira regra da vida – saber arquivá-los, entendê-los, contá-los, esquecê-los. Mas ninguém nos diz como se sobrevive ao murchar de um sentimento que não murcha. A amizade só se perde por traição – como a pátria. Num campo de batalha, num terreno de operações. Não há explicações para o desaparecimento do desejo, última e única lição do mais extraordinário amor. Mas quando o amor nasce protegido da erosão do corpo, apenas perfume, contorno, coreografado em redor dos arco-íris dessa animada esperança a que chamamos alma – porque se esfuma? Como é que, de um dia para o outro, a tua voz deixou de me procurar, e eu deixei que a minha vida dispensasse o espelho da tua?


Inês Pedrosa
 

O Meu Lado B Copyright © 2012 Design by Antonia Sundrani Vinte e poucos