terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

Do coração com amor… #2

Publicado por Desnorteada às 4:58 da tarde

22 de Dezembro de 2013

Tu cansas-me. Quer dizer, não tu, mas aquilo que representas[te] na minha vida. Porque estás e não estás. Estou sempre a tropeçar em coisas nossas e a procurar evitar isso mesmo, a contornar os momentos que vivemos [e, sobretudo, os que eu quis viver] como quem contorna obstáculos na estrada. Enfim acho que devo a mim própria o afastamento. Gosto de pensar que vou conseguir ser feliz sem estar contigo e sem tu andares aqui a pairar no ar como quem vela por mim. Gosto e preciso de pensar nisso a toda a hora, todos os dias, todos os meses e todos os anos daqui por diante.


Acredito que há momentos para tudo e, portanto, acredito que este não é o nosso momento. Se antes não foi, também não é agora que vai ser. Não são coincidências estas coisas todas. A isto prefiro, de longe, chamar de destino. Eu sei é difícil perceber. Tu, que és compatível com tudo o que sonhei e desejei para mim, não podes ser mais o dono dos meus pensamentos. [Tens lá tu ideia de quantas noites passei em claro por tua causa?!] Digo muitas vezes que consigo sempre aquilo que quero e depende só de mim e não posso querer ter na vida uma pessoa que me estraga os planos e que me desmoraliza. Somos ambos demasiado complicados para aceitar seja o que for.

Como eu adorava estar na tua cabeça. Só isso. Conseguir entrar e ficar na tua cabeça para tentar perceber o que fui para ti e o que pensas tu de mim. De nós. Apesar de tudo, éramos tão iguais tão amigos, tão cúmplices. Por que não deu certo? Por que é que a minha genuinidade, que elogiavas tanto, nunca te chegou. Cá dentro, no meu coração, já consegui amenizar as diferenças e a mágoa que deixaste, mas a verdade, verdadinha, é que sinto a tua falta e ainda me pergunto, muitas vezes, "e se?". E é isto: "e se?". É tudo isto. Apenas isto.

4 comentários:

PM on 8:15 da tarde disse...

Um texto que me diz tanto e um sentimento que me ajudou a fazer a mala vezes sem conta e a caminhar decidido no aeroporto para mais um avião. Se ao menos os "e se..." ficassem só em terra.

Beijos

Desnorteada on 1:04 da tarde disse...

PM, os "e se…" são sempre os nossos inimigos. Eu já aprendi a ignorá-los na maior parte do tempo, mas há sempre um espaço para eles. [In]felizmente… :*

Dias em rosa on 9:22 da tarde disse...

espero que o tempo te traga as respostas que precisas para esse "e se ..." beijinhos sweetie :* :*

Desnorteada on 9:25 da tarde disse...

vai trazendo… :*

 

O Meu Lado B Copyright © 2012 Design by Antonia Sundrani Vinte e poucos